Iepé realiza curso sobre a implementação da Lei 11.645/08 em Macapá

O curso “Educação para as relações étnico-raciais: dialogando sobre os povos indígenas e a implementação da lei 11.645/08 no Estado do Amapá”, realizado na Biblioteca Pública Estadual Eucy Rodrigues Lacerda, em Macapá, entre os dias 19 e 23 de outubro de 2015, contou com a participação de sessenta e cinco pessoas, em sua maioria gestores do Núcleo de Educação Indígena da Secretaria Estadual de Educação do Estado (NEI / SEED), funcionários do Museu Sacaca, IEPA (Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas do Estado do Amapá), bem como professores e estudantes universitários da UNIFAP (Universidade Federal do Amapá) e indígenas do Oiapoque e do Parque do Tumucumaque.

O escopo geral do curso foi fomentar a discussão e difundir conteúdos etnográficos, históricos e contemporâneos sobre os povos indígenas do Brasil, com especial ênfase para a diversidade indígena no Amapá e norte do Pará, trazendo informações sobre os modos de vida, práticas e conhecimentos destes povos, fornecendo assim, subsídios para reflexões sobre práticas pedagógicas que contemplem as temáticas indígenas nos ambientes educacionais.

Os primeiros dias do curso foram dedicados a desconstruir alguns dos estereótipos disseminados sobre os povos indígenas, geralmente associados a uma visão genérica e pretérita desses povos, discutindo alguns conceitos relacionados ao tema, como “cultura”, “identidade”, “diferença” entre outros. A partir disso, por meio de mapas, textos e vídeos, foi debatido a diversidade sociocultural e linguística contemporânea, com destaque para a região, bem como, a questão da demarcação de terras indígenas no país. Nos últimos dias, as atividades foram voltadas para pensar essa temática nas instituições escolares, focada principalmente, na análise e discussão de trechos de materiais didáticos pensando na construção de uma nova relação de ensino e aprendizagem baseada na diferença. No decorrer do curso, também foram propostas atividades em grupo com o objetivo de propiciar a reflexão e sistematização dos conteúdos discutidos durante os encontros.

De acordo com Ana Blaser, da equipe do Iepé, que ministrou o curso “pretendeu-se possibilitar o diálogo para a construção de um pensamento crítico que problematize os conteúdos e formas que os materiais didáticos abordam a questão indígena, discutindo também as razões pelas quais essa temática, historicamente, mantém-se pouco aprofundada nos ambientes educacionais. Ademais, o objetivo foi de debater práticas de ensino que contemplem e valorizem as histórias e culturas indígenas e sua contemporaneidade.”

O curso foi realizado pelo Iepé, com apoio da Embaixada da Noruega e Rainforest Foundation Noruega.

Deixe um comentário


Login Form