3ª Expedição de Diagnóstico Socioambiental do PDPI – Rios Jatapu e Jatapuzinho (TI Trombetas/Mapuera)

No período de 01 a 11 de setembro aconteceu a 3ª Expedição Diagnóstica do PDPI Apitikatxi na porção roraimense da Terra Indígena Trombetas/Mapuera pelo projeto “Construindo nossos PGTAs: mobilização e diagnostico socioambiental nas TIs Parque do Tumucumaque, Paru d’Este, Trombetas/Mapuera e Nhamundá/Mapuera”. De 01 e 04 de setembro foi realizada na aldeia Makara a 1ª oficina dessa expedição, reunindo também moradores das aldeias Soma, Cobra e Samaúma. Participaram da equipe que conduziu essa atividade diagnóstica Ruben Caixeta (antropólogo/UFMG), Jonilson Raposo (CTL Jatapuzinho/Funai), Denise Fajardo (antropóloga, coordenadora do Programa Tumucumaque/Iepé), Marina Minari e Jeciane Souza (Iepé).

IMG_2629

No dia 5 de setembro a equipe técnica seguiu para Jatapuzinho, onde reuniu-se com as principais lideranças da aldeia Jatapuzinho para conversarem sobre  os objetivos do projeto. No dia 06, os Waiwai, principalmente professores e alunos, preparam a aldeia Jatapuzinho para receber moradores das aldeias vizinhas Makará, Soma, Cobra, Samaúma e Katuau, bem como Anauá (da TI Wai-wai) para as comemorações do dia da Independência do Brasil em 07 de setembro. No dia 08, as atividades do diagnóstico se iniciaram com a presença de representantes das aldeias de Jatapuzinho, anfitriã local, Katuau e Anauá. Durante esta 2ª oficina, Marina Minari e Evandro Bernardi (Iepé), Jonilson Raposo (CTL Jatapuzinho) e Roberto Waiwai (APIW) conduziram as atividades. Mesmo não sendo contemplados neste projeto, moradores da aldeia Anauá, localizada na Terra Iindígena Wawai (vizinha à TI Trombetas/Mapuera) decidiram participar da abertura do diagnóstico para compreenderem do que se tratava.

Durante as atividades dessa etapa diagnóstica, de modo participativo, e com a presença de representantes de jovens, mulheres, crianças e lideranças, os participantes, em sua maioria, Waiwai puderam: aprofundar seus conhecimentos sobre PNGATI e PGTAs; narrar e ouvir históricos diversos de ocupação territorial e formação das atuais aldeias; elaborar mapas/croquis de suas aldeias e mapas de paisagem, mencionando os principais recursos vegetais e animais encontrados em cada paisagem que consideram importante para sustentabilidade do seu modo de vida; responder  questionários por aldeia, com perguntas qualitativas e quantitativas sobre suas percepções da situação atual e projetos de vida futuros, sobre bens e recursos utilizados e considerados necessários para seu bem viver. Em Jatapuzinho, o encerramento da expedição foi celebrado com a dança do jacamim, com homens, mulheres e crianças manifestando seus desejos de melhorias para o futuro.

Os próximos passos serão a sistematização de todos os dados levantados para posterior retorno e diálogo sobre a validade dos mesmos junto às principais lideranças da TI Trombetas-Mapuera e encaminhamentos futuros.

A proponente deste projeto é a APITIKATXI (Associação dos Povos Tiriyó, Kaxuyana e Txikiyana) que conta com a parceria das Associações representativas dessas TIs: APIWA/Associação dos Povos Wayana e Aparai; APIM/Associação dos Povos Indígenas do Mapuera; APITIMA/Associação dos Povos Indígenas da TI Mapuera; CGPH/Conselho Geral dos Povos Hixkariyana e APIW/Associação dos Povos Wawai; e do Iepé (Instituto de Pesquisa e Formação Indígena), com apoio da Fundação Moore, e da FUNAI.

  • Atividades da Oficina em MakaráAtividades da Oficina em Makará
  • Festa fechamento JatapuzinhoFesta fechamento Jatapuzinho
  • Encerramento da Oficina em MakaráEncerramento da Oficina em Makará
  • Atividades da Oficina em MakaráAtividades da Oficina em Makará
  • Atividades durante a Oficina em JatapuzinhoAtividades durante a Oficina em Jatapuzinho
  • Atividades durante a Oficina em JatapuzinhoAtividades durante a Oficina em Jatapuzinho
  • Festa fechamento JatapuzinhoFesta fechamento Jatapuzinho
  • Encerramento da Oficina em JatapuzinhoEncerramento da Oficina em Jatapuzinho

Deixe um comentário


Login Form