Conselheiros do Mosaico se manifestam em favor da Flota-AP

Os conselheiros do recém empossado Conselho Consultivo do Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará, em carta pública, manifestaram-se a favor da manutenção da Floresta Estadual do Amapá, criada em 2006, pelo Decreto-lei nº1028, alvo de questionamento da bancada ruralista da Assembleia Legislativa do Estado do Amapá. Abaixo o documento discutido e aprovado pelos Conselheiros:

CARTA ABERTA DO CONSELHO CONSULTIVO DO MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO OESTE DO AMAPÁ E NORTE DO PARÁ SOBRE OS ATAQUES À FLORESTA ESTADUAL DO AMAPÁ

Diante da proposta de revogação da lei de criação da Floresta Estadual do Amapá (FLOTA-AP) por parte da bancada ruralista da Assembleia Legislativa do Amapá, o Conselho Consultivo do Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará vem a público manifestar seu repúdio a tal iniciativa e sua preocupação em relação à manutenção do sistema de áreas protegidas do Estado do Amapá.

A Floresta Estadual do Amapá foi criada em 2006, a partir do processo de negociação da transferência das terras da União para o Estado do Amapá, tendo como principal objetivo o aproveitamento florestal para ordenamento do setor madeireiro, assim como de outros produtos da sociobiodiversidade.  A FLOTA integra um grande mosaico de Áreas Protegidas no Escudo das Guianas, sendo vizinha de outras Áreas Protegidas, cumprindo importante papel na conservação da biodiversidade nesta região.

Atualmente estão em andamento importantes ações para dar efetividade a FLOTA por meio da elaboração de seu Plano de Manejo, de constituição de seu Conselho Consultivo, da realização de pesquisas para quantificação dos serviços ambientais e de proposta de regulamentação das concessões florestais.

Como Área Protegida integrante do recém criado Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará, nós, membros de seu Conselho Consultivo, repudiamos as tentativas de revogação desta FLOTA, acreditando que na importância da floresta, no desenvolvimento de sistemas produtivos sustentáveis e no bem estar da população que vive na área e no seu entorno e depende da floresta.

Centro Diocesano, Macapá, 07 de junho de 2013.

 

Tags:  

Deixe um comentário


Login Form