Exposição Tiriyó e Kaxuyana

O Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena e o Museu do Índio-Funai convidam para a Exposição Etnográfica “Tecendo a Arte, Tecendo a Vida”, com abertura no próximo dia 01 de agosto, em Belém, Pará.

convite_exposicao_tecendo_2

 

Exposição etnográfica
TECENDO A ARTE, TECENDO A VIDA

O Iepé e o Museu do Índio-Funai inauguram no dia 01 de agosto, na Universidade Federal do Pará, a exposição “Tecendo a arte, tecendo a vida: mulheres Tiriyó e Kaxuyana”, com curadoria de Denise Fajardo Grupioni e Luís Donisete B. Grupioni e cenografia de Simone Melo.

Para as mulheres tiriyó e kaxuyana a vida é feita de fios: fios de algodão com que tecem suas peças e fios vitais, como o sangue, com que tecem suas vidas. Nesta simbólica em que tecer é dar vida, em que um tear é como uma aldeia, em que se tecem relações entre coisas e pessoas, a arte da tecelagem imita a arte da socialidade.

Cotidianamente e por gerações, das mais jovens às mais idosas, as mulheres tiriyó e kaxuyana confeccionam, com extrema habilidade, colares, pulseiras, tangas femininas e cinturões masculinos, para uso próprio e de seus familiares. Neste universo, em que se tece pelo prazer de tecer, emerge um rico repertório de padrões gráficos, aplicados à tecelagem, aos objetos e aos corpos.

Esse é o tema desta exposição que retrata a arte da tecelagem com algodão, sementes e miçangas das mulheres tiriyó e kaxuyana, que vivem na faixa oeste da Terra Indígena Parque do Tumucumaque, no Pará. A exposição compõe-se de painéis fotográficos e peças etnográficas que resultam de um programa de valorização cultural em curso desde 2006 entre mulheres de 12 a 80 anos, de mais de 20 aldeias, e foi especialmente concebida para integrar a programação da 27ª. Reunião Brasileira de Antropologia.

Esta exposição, que ficará aberta ao público de 01 a 15 de agosto na Capela Ecumênica da Universidade Federal do Pará, integra as ações do Programa de Valorização e Gestão de Patrimônios Culturais Indígenas do Tumucumaque, desenvolvido pelo Iepé com apoio da Embaixada da Noruega, Iphan, Museu do Índio, Coordenação Regional da Funai em Macapá, Petrobras e Rainforest Foundation.

Deixe um comentário


Login Form